quarta-feira, 5 de março de 2008

A NOITE DOS TAMBORES SILENCIOSOS

A noite
Caiu
Como um facho
De
Luz negra
Sobre a terra

No porto
Uma nau também negra
Cheia de almas negras
Esperava
O momento de partir pelo negro mar de espumas

Levando
Colares e contas
Lendas e mitos
Miçangas e patuás
Tambores e lágrimas
Suor e sangue escravo

3 comentários:

Anônimo disse...

Sarava, Bento!
Dentro de nos
Mora Africa
Mora Indios
Somos Brasil
Este mundo mestiço
Que precisa ser revelado
E conscientizado
De que somos
Irmãos
Filhos de Janaina
Yara
Que é Yemanja
Bài kexà!
Sarava!
Abraços
Heitor de Pedra Azul
www.myspace.com/heitordepedrazul

Anônimo disse...

Que belo e forte! Fostes iluminado para em poucas e tão lindas palavras interpretar a Noite dos Tamobores Silenciosos.
Precisamos realmente divulgar esse nosso lado mestiço e mítico. Revelar as pessoas que elas são, dentre as outras raizes, também, Nagôs.
Paz a ti!

Fabiana Levi disse...

O Brasil é colorido: Preto(África), Marrom caramelo(Brasil Indígena) e Branco(Europeus)!
Tem coisa mais linda que isso?
PEACE e BEIJOS!